Receba noticias em seu Whatsapp gratis



Miguelense traz medalha de Jiu Jitsu da Alemanha | Jornal em Destaque

Miguelense traz medalha de Jiu Jitsu da Alemanha

Um jovem desacreditado que deu certo!



Miguelense traz medalha de Jiu Jitsu da Alemanha

15/10/2019 18:40 ( Atualizado em 23/10/2019 19:49) | Miguel Pereira | ESPORTES |

Fabio Kleine

Seu nome é Jean Carlos Ferreira, mas todos o conhecem como Jean Buiú, campeão de Jiu Jitsu em várias competições no país e no exterior. Jean começou a praticar em 1998, quando tinha 13 anos de idade, com Alexandre Café, o proprietário do Hotel Fazenda Javary, em Miguel Pereira. Jean morava na Vila Selma, mas, nos fins de semana, ficava na casa da namorada do Alexandre, no Centro da cidade. Como era hiperativo, ela sugeriu ao Alexandre levá-lo para praticar uma luta. Foi como começou sua carreira campeã.

Buiú deu uma entrevista exclusiva ao ED. Conheça um pouco da brilhante história desse miguelense vencedor. Confira.


Em Destaque: Você, hoje, é professor?

Jean: Hoje eu sou formado. Recebi a faixa preta do Alexandre, em 2008; moro em Copacabana, tenho o meu estúdio e estou sempre competindo.


Em Destaque: Você faz uma atividade na praia, certo?

Jean: Tenho uma equipe de Box Feminino, porque eu só dou aula para mulheres na praia. Então, segundas, quartas e sextas-feiras é no meu estúdio; terças e quintas-feiras, na praia. E todos os sábados a gente escolhe um lugar, tipo, arpoador, ou sobe o Pão de Açúcar; sempre lugares bonitos para fazer uma aula maneira.


Em Destaque: Onde foi a sua primeira competição?

Jean: Foi em Vassouras, no Campeonato Arte Livre, e foi a primeira vez que lutei e fui campeão. Nunca mais esqueço.


Em Destaque: Quais foram os outros lugares que você competiu?

Jean: No Rio de Janeiro, né, porque eu fiquei morando lá e era onde tinha as competições para poder viajar. Depois, eu fiz seminários na Itália, na Alemanha, Portugal, onde eu fiquei morando durante um ano dando aula em um colégio, em Estoril. Fiquei seis meses na Alemanha e agora eu vou e volto, vou e volto. Estou sempre fazendo seminários lá.

Quando eu ganhei na Alemanha eu pensei: caramba! Eu vim de Miguel Pereira e tô aqui, fui campeão, tô dando aula aqui. Corri atrás, me dediquei... Eu poderia estar melhor. Mas, tem muitas dificuldades, também.


Em Destaque: Você foi campeão e diz que poderia estar melhor? (risos)

Jean: É. Tem muitas competições, mas eu não tinha dinheiro para fazer as minhas coisas. Então eu tinha que decidir: hoje eu vou comer e não vou poder competir. Atualmente, já mudou... Eu tenho a minha faixa preta, tô com os meus alunos, tenho minha equipe, tenho dinheiro pra poder viajar. Eu tenho bons amigos, sabe? E um amigo, em especial, que é dono da marca Brazil Combat, e me deu todos os quimonos para eu lutar. A minha esposa tem uma esmaltaria e me ajudou, também, com 500 dólares para eu levar. Foram estas ajudas. O resto foi tudo do meu bolso. Eu cheguei lá e disse para mim mesmo: eu vim para competir, eu tenho que ganhar isso aqui!


Em Destaque: O que essa atividade mudou a sua vida?

Jean: Mudou muito! Pessoalmente eu melhorei. Eu era muito estressado. Falavam qualquer coisa comigo e eu já ia pra cima! Hoje em dia, não. Eu tô mais centrado. E o esporte me deu uma vida que eu não poderia imaginar. A primeira vez que eu viajei, eu fui pra Portugal. Por causa do Jiu Jitsu. Se não fosse isto eu não iria para Portugal, pra Alemanha... Sem falar que você fica disciplinado, tem suas horas certinhas para treinar, fica mais focado nestas coisas. Eu era muito disperso e muito brigão. Dos meus 15 anos de idade até os 18, me provocavam muito, porque eu sou pequeno e queriam me ver brigar. Mas, agora, a primeira briga que você tem, é expulso da Federação.


Em Destaque:  Hoje você se considera uma pessoa melhor?

Jean:  Muito melhor. As pessoas ficavam falando: “Você vai virar bandido!” E eu ficava triste. Eu chegava em casa, ficava chorando sozinho, porque eu não queria virar bandido. Eu sou atleta. Sou lutador de Jiu Jitsu. Foquei, é um sonho que eu tinha e tô aí. E quero crescer mais ainda.

A mãe da minha amiga que eu falei antes cuidava de mim. Ela me fazia ir para escola, comprava o meu tênis para eu poder ir estudar, sabe? Eu tenho muitos amigos que me ligam, querem saber como eu estou. Estas pessoas eu nunca vou esquecer!


Em Destaque: O que você diria para essa garotada que está iniciando em alguma atividade, seja no esporte ou outra atividade qualquer?

Jean: Eu diria que ela tem que fazer o que gosta. O esporte é muito bom. Deixa focado, disciplinado. É o que eu falo: sem o Jiu Jitsu eu não teria conhecido 15 países. E aconselho para não darem mole: focar, estudar... Eu, hoje, faço um curso de inglês, porque eu cheguei na Alemanha e dei aula por mímica. E o cara gostou e me contratou novamente. Então, tem que focar. Todo mundo pode ser o que quiser na vida. É só focar.




Jean Carlos Ferreira, o Jean Buiú, campeão de Jiu Jitsu em várias competições no país e no exterior, exibindo suas medalhas conquistadas na Alemanha Jean Carlos Ferreira, o Jean Buiú, campeão de Jiu Jitsu em várias competições no país e no exterior, exibindo suas medalhas conquistadas na Alemanha

Jean é um exemplo de superação e crescimento pessoal e profissional. Ao final da entrevista, Buiú exibiu, orgulhoso, as medalhas que ganhou na Alemanha. E nós, que vivemos em Miguel Pereira, também ficamos orgulhosos com o empenho e vontade de vencer deste menino que diziam que se tornaria um bandido.


Jean Buiu é um exemplo a ser seguido!




A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo!
Ao contrário da mídia corporativa, o Jornal Em Destaque se financia por meio de sua própria comunidade de leitores e, assim, mantém acesso livre a todos os seus canais.
Você pode apoiar o ED de diversas formas.

Veja como clicando aqui







PALAVRA DO ASSINANTE SOBRE Miguelense traz medalha de Jiu Jitsu da Alemanha

Exibindo 0 Comentários


Quer comentar a matéria?




 
  • Política de Erros
  • Política de Privacidade
  • Termos de Uso
  • Sobre o Jornal em Destaque
  • Contato
  • JORNAL EM DESTAQUE | Todos os Direitos Reservados