Refugiados idosos estão sob alto risco de exclusão enquanto COVID-19 continua a atingir as Américas





26/05/2021 12:38 ( Atualizado em 26/05/2021 12:39) | Europa | Direitos Humanos |

Helio de Carvalho



Genebra, 26 de maio de 2021 - O ACNUR, a Agência da ONU para Refugiados, e a HelpAge International alertaram nesta quarta-feira (26) que a pandemia da COVID-19 está colocando em risco pessoas idosas que se deslocam pela América Latina, prejudicando seu bem-estar e limitando seu acesso a direitos e serviços essenciais.


Uma avaliação conjunta na Colômbia, Equador, El Salvador, Honduras e Peru revelou que a pandemia está exacerbando as ameaças pré-existentes à saúde física e mental, nutrição, autonomia financeira e situação legal de refugiados idosos e pessoas idosas em deslocamento. Metade dos entrevistados descreveu ter sofrido discriminação, enquanto um número preocupante descreveu incidentes de abusos.

Há muito tempo, pessoas idosas em situação de deslocamento forçado se deparam com abandono e proteção insuficiente. Sua plena inclusão nas respostas nacionais à pandemia, inclusive nos planos de vacinação da COVID-19, é fundamental para garantir sua dignidade e direitos”, afirma Jose Samaniego, Diretor do Escritório Regional do ACNUR para as Américas.

___________________________

#DicaEmDestaque: Sempre lembre de usar a máscara de proteção, andar com álcool gel, respeitar o distanciamento social e sair de casa somente se necessário! Caso pertença a um dos grupos de risco ou conviva com alguém que precise de cuidados especiais, evite passeios presenciais. A situação ainda é bem séria! Cuide-se bem para sairmos juntos desta pandemia o mais rápido possível. Combinado?


O relatório “Uma reivindicação pela dignidade: Envelhecer em movimento” pode ser lido aqui


Clique aqui para acessar o texto completo no site oficial do ACNUR.


Foto manchete: ACNUR / Felipe Irnaldo - Mulheres venezuelanas da comunidade de refugiados indígenas Warao produzem artesanato em Manaus (AM)